terça-feira, 2 de junho de 2009

O último voo para Paris

Com o novo acordo ortográfico, em vigor desde 1º de janeiro de 2009, pensava que não haveria catástrofe maior do que escrever "voo", sem acento circunflexo.

Mas ontem de manhã, depois de nadar 2000 metros, voltei para casa e fui surpreendido pela notícia do desaparecimento do voo 447, da Air France, do Rio a Paris. Maldito torcicolo cultural, eu poderia ter pensado. A França e a Europa que se fodam, junto com todos que lá estão ou estiveram...

Afinal, minha inspiração hobbesiana insiste em perceber o voo como coisa de ave. E contingências materiais não permitem, de jeito nenhum, que eu faça uma viagem de avião para além de Beagá.

Eu que não quero saber nem de franceses nem de europeus, ou de brasileiros que sofrem de torcicolo cultural.

Viva Ariano Suassuna!

2 comentários:

Strepsiades disse...

seus textos são impagáveis, meu velho.

Marcelo Grossi disse...

É que tenho um senso de humor diferenciado, meu caro Strep.